A menina que Roubava Livros - Makus Zusak

Categorias: ❤ 17.4.19 ❤
Nome: A menina que Roubava Livros
Autor: Makus Zusak
Número de Páginas: 480
Editora: Intrínseca
Lançamento: 2007


Sinopse: Ao perceber que a pequena Liesel Meminger, uma ladra de livros, lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. A mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler. Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade. A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História.

O livro me chamou atenção pelo título, pois imaginei que seria uma garota apaixonada por livros, assim como eu. 
Eu estava certa!

Mas a capa não me chamou a atenção, a cor branca com uma pessoa em preto me deu a  impressão de ser um livro extremamente melancólico.

Eu estava errada!!

A história se passa durante a segunda guerra mundial na Alemanha nazista, e a narradora do livro não é ninguém menos do que a morte, mesmo se declarando muito ocupada durante a guerra, ela para a fim de nos contar esta simpática história e o fato da morte narrar da um toque todo especial, principalmente no início do livro.

Uma pessoa triste tentando fazer outra pessoa triste sorrir, 
isso se chama amizade, a verdadeira amizade."

Tudo começa com Liesel, sua mãe e seu irmão mais novo viajando de trem para Munique, sua mãe comunista deixa os filhos para outro casal cuidar, porém a narradora entra em cena durante a viajem e age pela primeira vez, levando o irmão de Liesel com ela. E é durante o enterro do irmão que nossa personagem se depara com seu primeiro livro, caído do bolso do coveiro, um livro de capa preta e letras prateadas caído na neve.

Neste momento a morte se encontra com a menina que roubava livros e se afeiçoa a ela.


É a partir deste encontro que a morte acompanha os anos em que a Liesel morou na Rua Himmel, com seus novos pais Hans e Rosa Hubermann. 

Rosa é uma típica mulher alemã e Hans um Acordeonista, a única lembrança de sua antiga família é o livro pego silenciosamente da neve, porém ela não sabe ler e Hans a ajuda, para entender o que está escrito nele. 

E é nas noites de pesadelos e insônia de Liesel que seu novo pai a ensina ler e a escrever. 

" Quando a vida lhe rouba, às vezes tem de roubar de volta."
Para mim esta é uma das partes mais lindas da história, pois ela descobre o prazer da leitura, e o fascinante mundo das histórias contida em páginas, e se torna uma assídua leitora.

Liesel faz novos amigos, passa frequentar a escola, a Juventude de Hitler e os discursos nazistas, acompanhando muito distante os acontecimentos da guerra, até que eles abrigam um judeu em seu porão e é neste momento que a guerra chega mais perto do bairro de Molching. E a morte fica mais próxima também.


O que mais me chamou a atenção, é que o livro mostra o nazismo pela visão da população Alemã, suas angústias e interpretações da guerra, já falo que o final é digno de muitas lágrimas, eu mesma chorei muito.

Esta é daquelas histórias que passaram a moram em meu coração, li este livro há uns anos e resenhar depois de tanto tempo é como voltar à um bom lugar, repleto de boas lembranças e sentir aquele calorzinho no coração, é um livro bonito e muito gostoso de ler!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Paginação numerada



Subir